ImprimirImprimir PDFPDF

Por uma nova ordem urbana

A administração eficiente do patrimônio público é um excelente indicador de desenvolvimento social e reflete a imagem coletiva da população. Cuidar dos bens particulares é tarefa simples: só depende de uma pessoa. Definir coletivamente objetivos mediante o exercício do diálogo civilizado e agir para alcançar o fim visado é complexo: depende de muitas pessoas. A primeira permite que as abelhas voem. A segunda constrói a colmeia.

A Associação Empresarial Tancredo Neves foi criada para trabalhar o coletivo e o complexo que rondam o espaço público da Avenida Tancredo Neves e seu entorno, mediante ações de coordenação e muita cooperação com o Poder Público.

Os condomínios empresariais foram os embriões da Associação. O estímulo surgiu a partir da experiência de administrar a coisa comum inerente aos edifícios. O salto do condomínio para a associação comunitária teve origem em uma pergunta: por que o espaço público da rua não é administrado com a mesma eficiência do espaço comum dos edifícios?

Muitas respostas podem ser formuladas e duas conclusões são inevitáveis: a) a diferença existente entre os espaços (rua pública e área comum), no plano da eficiência da gestão, não é aceitável como inexorável ou normal; b) esta diferença decorre da forma como cada um percebe e age em relação ao espaço público (rua).

O quarto de dormir arrumado e a sala de estar bagunçada decorrem da visão, do compromisso e da ação de todos que residem na casa. Apartamento, edifício, rua, bairro e cidade são escalas republicanas que variam a partir da quantidade de pessoas e do tamanho do espaço comum.

Esta simplificação é útil para evidenciar que o modelo passivo de esperar a ação do governo não é adequado. O governo será cada vez melhor se a comunidade agir na direção clara de definir o que quer e buscar realizar aquilo que definiu. O alinhamento entre um e outro elimina a dissociação que existe entre governo e povo. Eles serão arco e flecha na direção do alvo.

A Associação trabalha para realizar mudanças materiais no espaço público. Ela propugna por uma nova ordem urbana. Ela aspira por uma nova cultura relacionada com o espaço público. Os objetivos materiais e concretos decorrerão da ordem e da cultura.

A nova ordem urbana perseguida tem natureza dupla: ela é abstrata e real. A primeira decorre da norma e da inteligência humana apta a definir fins e objetivos. A segunda é a capacidade de operacionalizar e tornar concreto o que foi pensado, normatizado e definido como lei e objetivo. A nova ordem será o alinhamento entre o abstrato e o concreto. Ordem normativa sem realidade é desordem. Neste contexto, a ordem é nova porque emerge como expectativa de dupla ordem.

Quem tem compromisso com objetivos reais gerados a partir de ideais incorpora valores, aceita bem a noção de dever e adquire zelo pelo que é comum. Neste ponto, nasce uma nova cultura: própria das pessoas que são aptas a construir e tornar sustentável o ambiente em que vivem. Não importa se é a casa, o edifício, a rua, o bairro, ou a cidade.

Os homens são iguais e diferentes entre si. Ninguém é somente igual ou totalmente diferente. A Avenida Tancredo Neves e seu entorno precisa encontrar a sua diferença como bairro empresarial. O espaço coletivo precisa se diferenciar, como aspiração natural e cultural à diversidade, e construir a sua personalidade a partir da alma e valores das pessoas que vivem e trabalham por aqui.

Por : Luiz Walter Coelho Filho
luizwalter@mmcz.adv.br





Atualiza Cursos
SEDE: Rua Frederico Simões, 153, Edifício Empresarial Orlando Gomes, sala 703 Caminho das Árvores,
Salvador ? BA | CEP: 41.820 - 774 | Fone: ( 71 )3178-6445 | contato@aetn.org.br
© 2019, AETN - Associação Empresarial Tancredo Neves . Todos os direitos reservados.
ZWA